sábado, 16 de fevereiro de 2013

Coluna: Anacrônico - Review Anime No.6


Olá, leitores da Anacrônico! :)
Hoje falarei sobre um anime que terminei recentemente, No.6.
A história é uma mistura bem equilibrada de ficção científica e romance. Envolve os gêneros ação, sci-fi e shonen-ai (não ser confundido com Yaoi, pois o relacionamento entre personagens masculinos não é o foco aqui). O anime é baseado em uma série de nove Light Novels, que foi adaptada também para mangá.
No. 6 é o nome dado a uma cidade utópica, que aparenta perfeição em todos os sentidos. Porém, ao seguirmos a vida de Shion, um garoto que vive na cidade sem qualquer preocupação, descobrimos que essa grande utopia pode ter alguns segredos obscuros.
Tudo começa quando o destino de Shion, aos doze anos de idade, acaba se cruzando com o de Nezumi (nome que literalmente é traduzido como “Rato”), um menino da mesma idade que estava fugindo do instituto correcional da No. 6. Shion o recebe em seu quarto em segredo e cuida de seus ferimentos, e Nezumi se encanta e assusta com tamanha inocência direcionada a ele. Fica claro imediatamente que os dois são imensamente diferentes, e a fascinação que sentem um pelo outro é bem compreensível.
Mas depois de ajudar o estranho, a vida de Shion muda por completo. Ele e sua mãe são obrigados a morar na parte mais humilde da No. 6 e perdem todos os privilégios e sonhos de um futuro brilhante que Shion poderia ter. Shion, apesar de tudo, não se arrepende de ter ajudado Nezumi, e segue com sua vida nova por quatro anos... até que seus destinos se cruzam novamente.
O mistério realmente tem inicio quando uma sequência de mortes vêm preocupando alguns cidadãos da No. 6, e Shion se vê em perigo como nunca antes. Neste ponto, ter conhecido Nezumi pode se tornar a melhor ou pior coisa que lhe aconteceu.
Esta é a base da história principal, que eu considero bem atraente. A ideia estilo 1984 – livro de George Orwell – prende a atenção desde o início, e o simples e bonito relacionamento entre os dois protagonistas também é muito bom de se ver.
Como dito, o anime foi baseado em uma série de livros. É de se esperar que, com tanta coisa a ser contada, 11 episódios não conseguiriam captar muito. Eu não tive a oportunidade de ler as obras, mas imagino que os assuntos principais foram passados: a crítica sutil que é feita através da concepção da No. 6, o amor puro que pode nascer entre mentes tão distintas, e a metáfora do final – que eu, claro, não vou contar aqui. Sem spoilers!
Durante os 11 episódios, o desenvolvimento do enredo foi de qualidade mediana. Não ficou tão intenso quanto seria de se esperar, mas compensou no quesito desenvolvimento de personagens. Você os conhece aos poucos, e a cada diálogo se percebe as intenções e as razões de cada um. Não é muito difícil se aproximar dos personagens desse anime, por mais que ele seja curto.
As indicações sobre a relação entre Nezumi e Shion são mesmo bem leves, mas isso deixa o romance muito mais emocional e, na minha opinião, bonito. Apesar de um tanto clichê, é impossível não sorrir com a inocência de um batendo de frente com a amargura de outro. Eles simplesmente... se completam.
Mas não pense que isso é o que rege toda a história. Claro, é uma parte importante; muitas das decisões dos personagens não teriam sido feitas se Shion e Nezumi não sentissem algo um pelo outro. Mas o anime vai para a frente com a promessa tentadora de se descobrir os segredos da cidade maravilhosa, e de se entender como a situação de Nezumi e algumas outras personagens interessantes chegaram aonde estavam.
Por fim, é um anime muito bom, que com certeza vale a pena ser assistido. Os únicos pontos ruins que posso listar são: o ritmo ter decaído muito após os primeiros episódios, apesar de não deixar de plantar alguma curiosidade o tempo todo; e o final com algumas questões confusas. Sobre o final, porém, é uma questão de interpretação. Muitas pessoas realmente entendem coisas diferentes, e, ao menos para mim, esse fim foi satisfatório num quesito geral. A metáfora que mencionei me pegou de surpresa e me deixou pensando por algum tempo, o que é sempre algo bom vindo de ficção.
No mais, além dos protagonistas, também merecem destaque Safu, melhor amiga de Shion, e Inukashi, a Guarda-Cães que ilustra bem o mundo de onde Nezumi veio.
Fiquem com um pôster, e espero que assistam e gostem tanto quanto eu gostei!


Beijos de Sangue,
A. F. Nascimento.
Colunista – Anacrônico.
 

2 comentários:

  1. Eu realmente não sou fã de anime, o bom deles é que é fácil para desenhar de resto eu não assisto mesmo.

    http://enfimshakespeare.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entendo... é o seu gosto. ^^
      Obrigada pelo comentário! :)

      Excluir

[Valid Atom 1.0]